Plano Nacional das Artes

Projeto Cultural de Escola

O Plano Nacional das Artes (PNA) tem como objetivo facilitar o acesso às artes da comunidade educativa e em particular dos alunos. Deste modo, pretende-se promover a participação, fruição e criação cultural, numa lógica de inclusão e aprendizagem ao longo da vida. O PNA procura incentivar o compromisso cultural das comunidades e organizações e desenvolver redes de colaboração e parcerias com entidades públicas e privadas.

O PNA incorpora três princípios estratégicos recaindo no “Eixo C. Educação e Acesso”, no programa “Indisciplinar a Escola”, o desenvolvimento do projeto cultural de escola.

O agrupamento de Escolas Sá de Miranda pretende-se utilizar o poder criativo e indisciplinador das artes para alterar o status quo vigente, assente num paradigma de distanciamento e alheamento, e deste modo promover o acesso às artes de toda a comunidade educativa incentivando a participação ativa e distinta de cada um. Deseja-se devolver as tradições e a memória cultural coletiva à comunidade, aproximando-a da escola e do que se pretende ensinar. Desta forma, tenciona-se combater a iliteracia cultural, reavivando a tradição oral abrindo-lhe as portas das salas de aula, promovendo o gosto pela leitura e pelas artes como fator de inclusão e de perpetuação da identidade e ethos da comunidade.

Neste sentido, de forma a dar resposta à problemática identificada, concebeu-se o Projeto Cultural de Escola (PCE), adaptado ao contexto territorial, social e cultural, em que esta se insere, com o tema “Tradições e lendas em memória”.

Página oficial do PNA.

Projeto Cultural de Escola 20/22

PAA 21/22

Ações no âmbito do PCE – Projeto cultural de escola

Ano letivo 2021/2022

Lendas em memória

A biblioteca escolar em articulação com os professores de Português e Educação Visual promoveram o levantamento de lendas locais que compilaram numa brochura.

Brochura

Vamos fazer um plano – Público

«Vamos fazer um plano» é o que propomos aos alunos, no ano letivo 2021/22, numa iniciativa conjunta entre o PNA e o público. Com este concurso, pretende-se promover um olhar mais atento ao km2 cultural onde cada um está inserido e dar voz aos mais jovens, aprofundar o papel das artes na vida das comunidades, desenvolver a atitude crítica em relação às manifestações artísticas e a consciência ativista na salvaguarda e valorização do património cultural de proximidade”.

Plano Sá de Miranda

O património também é meu!

No âmbito do Projeto Cultural de Escola as turmas encontram-se a desenvolver diferentes DAC e várias atividades no âmbito do tema.

Aulas deslocadas ao Arquivo Municipal centradas no espólio de mestre Veiga

Cronograma

As turmas do 5.º ano visitaram o Arquivo Municipal onde foi possível conhecer mais de perto uma das figuras mais importantes no âmbito das festas tradicionais da nossa cidade.

Após esta visita, os alunos, nas disciplinas de Educação Visual, Educação Tecnológica e Cidadania e Desenvolvimento, recriarão arcos de S. João baseados no trabalho de mestre Veiga.

Workshop de Folclore com o GFUM (Grupo Folclórico da Universidade do Minho)

No âmbito do PCE as turmas de 6.º A e 6.º C participaram no workshop de Folclore dinamizado pelo GFUM.

O workshop consistiu em duas sessões, nas quais os alunos tiveram a oportunidade de aprender mais sobre as danças tradicionais do Minho e da nossa cidade.

Entre todas as danças, desde verdegares a fandangos, passando por chulas, malhões e caninhas-verdes, a que melhor caracteriza o folclore minhoto é o vira, graças ao ritmo e vibração que lhe é imposto pelos garbosos e ridentes pares de dançadores e dançadeiras, e pelo som exuberante e compassado da tocata tradicional, composta por bombos, violas braguesas, ferrinhos, cavaquinhos e concertinas. Esta cultura peculiar e única, nascida das tradições ancestrais do Minho, e ligada profundamente ao quotidiano laborioso, às romarias e aos folguedos, é hoje ciosamente guardada e divulgada por numerosos grupos folclóricos, de que Braga é um dos concelhos mais ricos da região.

Oficinas de Dança Tradicional/Folclore

Cronograma

Dia das tradições

Iniciativa desenvolvida no âmbito do Projeto Cultural de Escola – Plano Nacional das Artes com muitas atividades que evocam as nossas tradições e o património local.

Iniciativa – dia das tradições

Fotografias

Exposição: O património também é meu!

A exposição “O património também é meu!” consistiu numa mostra de trabalhos que resultaram de diversas atividades desenvolvidas pelas diferentes turmas e em diferentes disciplinas, desde o 5.º ano até ao secundário. Esta exposição contou igualmente com os trabalhos realizados no âmbito dos diferentes DAC que trabalharam a temática do património e que foram desenvolvidos ao longo do ano letivo. A exposição “O património também é meu!” esteve patente ao público no Centro Cívico de Palmeira de 3 a 20 de Junho.

Exposição “Frágeis e Fortes”

Exposição de artes plásticas das AEC do Agrupamento

Inserido no Plano de Atividades do Projeto Cultural de Escolas do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda, no ano letivo 2020/2021, o projeto de intervenção “Frágeis e Fortes” consistiu na pintura de telas de grandes dimensões, uma por cada unidade orgânica do 1.º Ciclo, cujo tema se foca nas emoções e nos sentimentos diretamente relacionados com a pandemia e com tudo aquilo que ela provocou e ainda provoca nas crianças, enquanto seres em desenvolvimento.
Neste processo de criação artística, desenvolvido nas AEC em articulação com as diferentes áreas curriculares, as crianças foram expondo e desconstruindo os seus medos e anseios, através do desenho e da pintura, com o objetivo de conseguirem criar afetos e sentimentos mais positivos para os ajudar a superar os medos que a pandemia deixou.

Open Day na DST – Construir diálogos com a arte

As turmas de 6.º ano visitaram o complexo da DST Group e guiadas pela curadora Helena Mendes Pereira construíram diálogos com a arte e ficaram a conhecer artistas contemporâneos que se expressam através de diferentes modalidades artísticas. O complexo da DST parece um museu a céu aberto. As unidades fabris das empresas do grupo misturam-se, num espaço com cerca de 20 hectares de área produtiva, com esculturas, murais, contentores transformados em obras de arte e outras instalações artísticas e quadros. O contacto com a obra de arte permite aos alunos alargar os seus universos culturais e interrelacionar as referências visuais e artísticas com o contexto social, cultural e histórico, contribuindo ainda para a formação de públicos e para o desenvolvimento da sensibilidade estética.

Cronograma

“O que me contas tu?

Sarau Cultural das AEC do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda

“O que me contas tu?” foi um espetáculo performativo que interliga várias expressões artísticas (teatro, música e dança) apresentado no Auditório do Espaço Vita, no dia 1 de julho de 2022, protagonizado pelos alunos do 4.º ano das escolas do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda. Tendo como premissa o tema do Projeto Cultural de Escola “Lendas e tradições em memória”, “O que me contas tu?” é o resultado do trabalho de pesquisa e de recolha efetuado pelos alunos, em parceria com a Biblioteca Escolar e desenvolvido nas atividades extracurriculares, que evoca as lendas e a cultura tradicional da nossa região, sensibilizando a comunidade educativa para a valorização do património local.

Brochura “O que me contas tu?”

Fotografias

INDISCIPLIN’ARTE 2.2

No âmbito da “Noite Branca, Braga 22”, as escolas PNA de Braga foram desafiadas pelo Município de Braga a apresentar à comunidade uma seleção de trabalhos dos seus alunos realizados no âmbito do seu PCE. 

A exposição Indisciplin’arte 2.2 retrata algum do trabalho desenvolvido pelos diferentes agrupamentos de escolas da cidade de Braga no âmbito dos seus Projetos Culturais de Escola (PCE).O Agrupamento de Escolas Sá de Miranda integra a exposição, apresentando uma mostra de 3 projetos desenvolvidos no âmbito do PNA, a saber: “REcriarte”, “Frágeis e Fortes” e “Lendas em memória”.

A exposição esteve patente na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva até ao dia 9 de setembro.

Filme do trabalho desenvolvido no âmbito do PCE no ano letivo 2021-2022

No AESM a Arte acontece! O vídeo PNA AESM 21-22 retrata algum do trabalho desenvolvido no âmbito do PCE (Projeto Cultural de Escola), no decorrer do ano letivo 2021-2022, projeto que aproxima a comunidade educativa do seu património local.
Veja o vídeo aqui.

Relatório do PNA 2021-2022

Relatório do PNA.

Ano letivo 2020/2021

Mini-mapa sonoro

O Mini Mapa Sonoro é um Workshop integrado no âmbito da programação do circuito serviço educativo Braga Media Arts que convida os participantes a fazerem a sua própria viagem pelo património de Braga. Partindo das suas referências sonoras, no local onde se encontram e à volta deste, a aventura passa por criar um mapa visual e sonoro recorrendo à ilustração e gravação de sons. No final, estes mapas ficam disponíveis on-line em formato interativo, para exploração visual e sonora.

Concerto comentado ao ar livre

O concerto foi dinamizado por alunos do secundário do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian e teve por objetivo promover o contacto com diferentes vertentes da música. Os alunos do conservatório trouxeram instrumentos diferentes e explicaram detalhadamente cada um e a que grupos pertenciam. No final, tocaram algumas peças mostrando a versatilidade de cada instrumento apresentado. 

Projeto Fortes e frágeis

Inserido no plano de atividades do Projeto Cultural de Escola do Sá de Miranda – Plano Nacional das Artes, este projeto consistiu no desenho e pintura de telas, uma por cada escola do 1.º ciclo do Agrupamento Sá de Miranda, que refletem as emoções e os sentimentos diretamente relacionados com a pandemia e tudo aquilo que  ela provocou em nós como seres humanos. Trata-se de um projeto interdisciplinar, uma vez que o tema foi trabalhado em articulação com as diferentes áreas curriculares.

Relatório do PNA 2020/2021

Relatório do PNA

Ano letivo 2019/2020

PNA 2019/2020

Projeto PNA 2019/2020

Energizarte

O projeto energizarte resultou de uma parceria entre a Junta de Freguesia, a Câmara Municipal de Braga e a Fundação EDP. Juntando artistas consagrados (João Martinho Moura, Sebastião Peixoto e José Pedro Santos) com artistas locais, o projecto assentou num processo participativo com a população local de forma a dar corpo a um conjunto de intervenções artísticas, tendo por base o património cultural, as tradições locais e as situações sociais concretas. Neste pressuposto os alunos da EB de Crespos participaram ativamente na criação de um mural para a escola.

Residência Artística “O Primo Basílio”

Foi estabelecido entre a Dança em Diálogos e o Município de Braga um protocolo de co-produção para a estreia absoluta, no Theatro Circo em Braga, do bailado O Primo Basílio – bailado em II atos, baseado na obra homónima de Eça de Queirós. Associado ao projeto de criação do bailado, foi realizada uma Residência Artística (RA) no Agrupamento de Escolas Sá de Miranda.

O projeto é pioneiro em Portugal, por juntar um espectáculo profissional de dança com o trabalho de professores e alunos durante o tempo letivo na ação prática de uma Residência Artística, que englobou a dança, a literatura e as artes visuais.

A RA em contexto escolar decorreu durante uma semana completa (6 a 10 de janeiro), com duas turmas (8.ºD e 10.º10), com a duração diária de dois tempos letivos e culminou com o ensaio geral do bailado O Primo Basílio, no Theatro Circo.

Projeto residência

Folha de sala – Residência artística

Visitas de estudo a Serralves, Casa da Música e Museu Amadeo de Souza-Cardoso

Concertos pedagógicos

Encontro com artistas/ilustradores

Relatório do PNA 2019/2020

Relatório PNA

© Agrupamento de Escolas Sá de Miranda - Braga